FANDOM


Bilbo Bolseiro

148531 433225943406882 1431199174 n.jpg

Informações biográficas
Outros nomes

Bilba Labingi
Montador de Barril
Ladrão
Filho do Gentil Oeste
Descobridor de Pistas
Convidado de Águias
O Número da Sorte
Louco Bolseiro
O Ganhador do Anel
Sr. Balseiro
Ferrão Aranha
Mosca que dá Ferroadas
Que Caminha sem ser Visto
O Cortador de Teias
Sr. Bolseiro
Bilbo Tûk.

Títulos

Amigo-dos-elfos
Portador do Anel

Data de nascimento

22 de Setembro, TE 2890 (RC 1290)

Data da morte

Desconhecido (Última aparição 29 de Setembro, TE 3021 (RC 1421)

Esposa

Nenhuma

Arma

Ferroada/O Um Anel/Anel do Poder

Descrição Física
Raça

Hobbits

Cultura

Hobbit do Condado (Família Bolseiro)

Sexo

Masculino

Cor do cabelo

Castanho, depois branco

Trilogia de Peter Jackson
Ator
Voz
  • Walter Breda (Velho Bilbo, SdA)
    *Isaac Bardavid (Velho Bilbo, O Hobbit)
    *Alexandre Moreno (Jovem Bilbo)
"Eu não conheço metade de vocês como gostaria; e gosto de menos da metade de vocês a metade do que vocês merecem!"
―Discurso de Bilbo em sua festa de aniversário de 111.[fonte]

Bilbo Bolseiro, (no original: Bilbo Baggins) é um personagem fictício protagonista da obra infantojuvenil O Hobbit de J.R.R. Tolkien, assim como um personagem coajunvante em O Senhor dos Anéis. Na narrativa conceito de Tolkien, em que todos os escritos da Terra-Média são traduções do volume fictício de O Livro Vermelho do Marco Ocidental, Bilbo é o autor de O Hobbit e tradutor de vários "obras em élfico" (como mencionado no final de O Retorno do Rei).

Bilbo Bolseiro é um Hobbit do Condado de 50 anos de idade que leva numa vida confortável e sem ambições, raramente aventurando-se para além de sua despensa ou sua adega. Mas seu comportamento é pertubado quando Gandalf, o mago, e uma companhia de 13 anões batem em sua porta e levam-no para uma experdição apesar de chamá-los de si mesmo de "ladrão" pelo próprio mago Gandalf e 13 anões liderados por seu rei Thorin Escudo de Carvalho em uma busca para recuperar a Montanha Solitária e seu tesouro do Dragão Smaug. A aventura teve Bilbo e os companheiros através do deserto, para o refúgio élfico de Valfenda, através das Montanhas Sombrias e da Floresta das Trevas, a Cidade do Lago no meio de Lago Comprido, e eventualmente para a própria Montanha. Aqui, depois de o dragão ser morto e a Montanha recuperado, aconteceu a Batalha dos Cinco Exércitos.

Em sua jornada, Bilbo encontrou outras criaturas fantásticas, incluindo Trolls, Élfos, Aranhas Gigantes, monstros gigantescos chamados Gigantes de Pedra, um homem chamado Beorn que pode mudar de forma em um urso, Goblins, ÁguiasWargs e uma criatura viscosa assassina chamada Gollum. No subterrâneo, perto covil de Gollum, Bilbo acidentalmente encontrou um Anel mágico de invisibilidade, que ele usou para escapar de Gollum.

Ao final da jornada, Bilbo se tornar mais sábio e mais confiante, depois de ter salvo o dia em muitas situações horríveis. Ele resgatou os anões das aranhas gigantes com o anel mágico e uma curta Espada Élfica que ele adquiriu. Ele usou o anel para se esconder em ambientes hostis, bem como sua inteligência para libertar os anões de prisões dos elfos. Ele foi capaz de conversar com o astuto Smaug. Quando as tensões surgiram sobre a propriedade do tesouro recuperado, ele tentou, sem sucesso, trazer os lados opostos de compromisso, usando uma relíquia roubada como alavanca. Ele teve um relacionamento tenso com Thorin, mas os dois se reconciliaram no leito de morte de Thorin. No final da história, Bilbo voltou para sua casa no Condado apenas para descobrir que vários de seus parentes, acreditando que ele estivesse morto, estavam tentando reivindicar a sua casa e bens. Além de se tornar rico de sua parte do tesouro dos anões, ele descobriu que ele tinha adquirido a respeitabilidade de experiência e sabedoria.

HistóriaEditar

Início da vida Editar

Bilbo.gif
Bilbo nasceu em 22 de Setembro de 2890. Seu pai era Bungo Bolseiro e sua mãe Beladona Tûk, uma impetuosa moça Hobbit que passou seu espírito Tûk aventureiro ao seu único filho. A família vivia na Vila dos Hobbits, em Bolsão, uma luxuosa toca Hobbit que Bungo construiu para sua esposa. Quando criança, Bilbo possuía os olhos brilhantes, era curioso e ávido por novidades do mundo de fora. O Mago Gandalf percebeu essas qualidades no jovem Hobbit em suas visitas ao Condado. Conforme Bilbo envelhecia, ele continuava divertindo-se olhando mapas e realizando longas caminhadas, e até mesmo conversando com estrangeiros que passavam pelo Condado. Cinquenta anos depois, Bilbo em seu conforto ficou particularmente acomodado, e quando Gandalf chegou em uma manhã da primavera de 2941 falando sobre aventura, o Mago não encontrou Bilbo tão interessado quanto ele esperava.

“Nós somos gente simples e acomodada, e eu não gosto de aventuras. São desagradáveis e desconfortáveis! Fazem com que você se atrase para o jantar! Não consigo imaginar o que as pessoas vêem nelas.” O Hobbit: “Uma festa inesperada,” p. 4

No dia seguinte Bilbo foi surpreendido pela chegada de Thorin Escudo de Carvalho e outros doze Anões

: Kili, Fili, Balin, Dwalin, Bifur, Bofur, Bombur, Oin, Glóin, Dori, Nori e Ori. Eles estavam indo reclamar os tesouros da Montanha Solitária de Smaug, e apreciam acreditar que Bilbo era um ladrão que poderia ajudá-los a atingir o objetivo. Bilbo ficou alarmado com a possibilidade de encontrar um Dragão, mas a história dos Anões despertou algo Tûk dentro dele. E quando ele ouviu Glóin mostras dúvidas sobre sua aptidão para a missão, Bilbo ficou determinado a provar seu valor. Na manhã seguinte, Gandalf fez Bilbo sair de casa e este se encontrou correndo pela estrada para encontrar os Anões, sem levar ao menos um lenço de bolso.

O primeiro teste para as habilidades de ladrão de Bilbo surgiu quando a molhada e faminta companhia encontrou uma fogueira na Mata dos Trolls. Bilbo foi enviado para investigar e encontrou os Trolls Bert, Tom e William Huggins. Bilbo decidiu tentar roubar uma bolsa dos Trolls e foi pego; os Anões também foram capturados logo em seguida. Gandalf chegou bem na hora e enganou os Trolls, debatendo com eles sobre como comer seus prisioneiros até o amanhecer, quando os Trolls se transformaram em pedra. No tesouro dos Trolls, Bilbo encontrou uma faca longa que possuía o tamanho perfeito para uma espada Hobbit.

Após um breve descanso em Valfenda onde Bilbo conheceu Elrond, a companhia escalou o Passo Alto nas Montanhas Sombrias, onde eles foram capturados por Orcs. Novamente Gandalf chegou para o resgate, e Dori carregou Bilbo nos túneis sob as montanhas, mas deixou o Hobbit cair quando um Orc o puxou por trás. Bilbo caiu inconsciente, e quando acordou seus companheiros não estavam lá.

Tateando pelos túneis escuros, Bilbo encontrou o Anel caído no chão, e o colocou em seu bolso. Em um lago subterrâneo ele conheceu Gollum, a criatura que havia perdido o Anel. Gollum estava faminto e Bilbo parecia saboroso, então ele propôs um Jogo de Adivinhas. Se Bilbo vencesse, Gollum lhe mostraria a saída; Se Gollum vencesse, ele iria devorar Bilbo. Bilbo estava naturalmente ansioso, e quando ele ficou sem idéia para adivinhas, justamente quando ele tocava o Anel em seu bolso, ele disse em voz alta: “O que eu tenho no bolso?”. Apesar de que ele não pretendia que isso fosse uma adivinha e era tecnicamente contra as regras, Gollum tentou responder e falhou. Irritado,Bilbo fez um favor pra ele, mostra a saída, mas Gollum não queria fazer essa, pois já que o jogo era sagrado. Ele foi até a ilha no meio do lago para pegar o Anel e então poder matar Bilbo, mas o Anel havia desaparecido. Gollum percebeu que Bilbo estava com o Anel em seu bolso e foi atrás dele.

O Anel escorregou para o dedo de Bilbo e ele logo percebeu que ele se tornara invisível. Ele seguiu Gollum até a saída, mas não podia passar através da criatura agachada na porta. Bilbo considerou matar a criatura, mas a pena segurou sua mão.

Bilbo quase parou de respirar, enrijecendo-se também. Estava desesperado. Tinha de sair dali, daquela escuridão horrível, enquanto ainda lhe restavam forças. Tinha de lutar. Tinha de apunhalar a coisa maligna, apagar seus olhos, matá-la. Ela queria matá-lo.

Não, não seria uma luta justa. Agora ele estava invisível. Gollum não tinha espada. Gollum não havia ameaçado matá-lo, nem havia tentado ainda. E estava arrasado, sozinho, perdido. Uma compreensão repentina, um misto de pena e horror, cresceu no coração de Bilbo: um vislumbre de dias infindáveis e indistintos, sem luz ou esperança de melhora, cheios de pedra dura, peixe frio, movimentos furtivos e sussurros. Todos esses pensamentos lhe passaram pela mente num lampejo. Estremeceu. Depois, de súbito, num outro lampejo, como se impelido por uma nova força e resolução, deu um salto. O Hobbit: “Adivinhas no escuro,” p. 86

“Adivinhas no Escuro” – Alan Lee

Enquanto Bilbo fugia, ele ouviu Gollum gritar “Ladrão, ladrão, ladrão! Bolseiro! Nós odeia ele, nós odeia ele, nós odeia ele pra sempre!” (O Hobbit, p. 86). Quando ele se reencontrou com seus amigos, ele não mencionou o Anel, porém mais tarde disse que Gollum pretendia lhe dar o Anel como presente, caso ele vencesse o jogo. Gandalf suspeitou dessa história e perturbava-lhe o fato de que Bilbo parecia mentir.

Naquela noite a companhia foi atacada por Wargs e resgatada pelas Águias, e no dia seguinte eles visitaram um estranho homem chamado Beorn, que podia transformar-se em urso. Eles prosseguiram rumo à Floresta das Trevas, onde se despediram de Gandalf. A despeito das advertências do Mago, eles saíram do caminho e os Anões foram capturados por Aranhas gigantes. Bilbo resgatou seus amigos usando sua inteligência e sua nova espada, que ele então nomeou Ferroada.

Ainda perdida e faminta, a companhia seguiu as luzes dos Elfos da Floresta através da mata e foram feitos prisioneiros. Bilbo usou o Anel para evitar ser capturado e roubou as chaves das celas dos Anões. Ele colocou os Anões dentro de barris vazios que foram jogados no Rio da Floresta. Bilbo montou em um dos barris e eles flutuaram descendo o rio até a Cidade do Lago.

Da Cidade do Lago, a companhia continuou para a Montanha Solitária. Na soleira da porta, Bilbo solucionou a charada do mapa de Thror quando ele escutou um tordo batendo, e disse à Thorin para se apressar com a chave enquanto a luz do sol poente do Dia de Durin iluminava o buraco da chave escondido na porta.

Dentro da montanha, Bilbo controlou seu medo e rastejou descendo o túnel até o covil de Smaug. Enquanto o dragão dormia, Bilbo pegou uma grande taça de duas alças do tesouro. A segunda vez que Bilbo aventurou-se no covil do dragão, Smaug estava acordado. Bilbo, usando o Anel, trocou palavras com Smaug e persuadiu o dragão a mostrar sua parte inferior onde Bilbo notou um ponto fraco. Bilbo mais tarde mencionou essa área desprotegida aos ouvidos do tordo, que contou o fato para Bard, o Arqueiro. Essa informação privilegiada permitiu que Bard matasse Smaug quando o dragão, irritado com a invasão de seu domínio, deixou a Montanha para atacar a Cidade do Lago.

Bard e os homens da Cidade do Lago, acompanhados pelos Elfos da Floresta das Trevas, foram até a Montanha Solitária procurando compensações e o compartilhamento do tesouro que havia sido roubado deles por Smaug. Mas Thorin recusou-se a escutar seus pedidos enquanto seus exércitos acampavam ao redor da Montanha.

Bilbo achou que os pedidos feitos por Bard eram razoáveis. Esperando prevenir uma batalha e para acabar com o problema para que ele pudesse voltar para casa, Bilbo bolou um plano. O Hobbit havia encontrado a Pedra Arken – o tesouro que Thorin mais desejava – e escondeu-o sem contar a ninguém. Então ele entregou a pedra para Bard e Thranduil, o Rei dos Elfos, para que eles a usassem para negociar com Thorin. Gandalf chegou a tempo para testemunhar o plano de Bilbo, e disse: “Muito bem! Sr. Bolseiro! Você sempre demonstra ser mais do que se espera!” (O Hobbit, p. 264)

Thorin ficou enfurecido quando descobriu o que Bilbo havia feito e teria atirado-o às rochas se Gandalf não o impedisse. Quando o parente de Thorin, Dain, chegou com um exército de reforços, o problema parecia iminente. Mas então um exército de Orcs e Wargs liderados por Bolg chegou, e os Anões, Elfos e Homens se uniram para enfrentá-los. Na Batalha dos Cinco Exércitos, Bilbo manteve-se junto ao Rei Thranduil e Gandalf. Ele viu as Águias chegado em auxílio quando foi atingido por uma rocha e caiu inconsciente.  Thorin foi ferido mortalmente na batalha e pediu para ver Bilbo para poder se despedir do Hobbit como um amigo.

Bilbo entre os Anões – Alan Lee

“Há mais coisas boas em você do que você sabe, filho do gentil Oeste. Alguma coragem e alguma sabedoria, misturadas na medida certa. Se mais de nós dessem valor a comida, bebida e música do que a tesouros, o mundo seria mais alegre. Mas, triste ou alegre, agora devo partir. Adeus!” O Hobbit: “A viagem de volta,” p. 279

Bilbo estava pronto para retornar para casa. Ele perdeu sua décima quarta parte no tesouro quando deu a Pedra Arken para Bard, e no fim ele pegou apenas dois baús pequenos, um de ouro e um de prata, bem como a camisa de mithril que Thorin lhe dera. Quando ele chegou à Vila dos Hobbits, Bilbo descobriu que ele havia sido declarado morto, e os Sacola-Bolseiros estavam se preparando para mudarem para Bolsão. E eles ficaram muito desapontados.

Bilbo continuou a receber visitas de Gandalf e de vários Anões, incluindo Balin, e ele realizava longas caminhadas nas florestas e conversava com os Elfos. Ele estudou a língua élfica e as lendas e conhecimentos da Terra-média. Em 2989 da Terceira Era do Sol (1389 segundo o calendário do Condado), Bilbo, um solteirão ao longo da vida, adotou Frodo, o filho órfão de sua prima Primula Brandebuque e seu primo de segundo grau Drogo Bolseiro, e fê-lo seu herdeiro. Embora Frodo era realmente "o seu primeiro e segundo primo removido uma vez de qualquer forma", os dois consideram-se um ao outro como tio e sobrinho.

Em 3001, depois de 60 anos, quando Bilbo estava completando 111 anos, o Anel começou a demonstrar efeitos sobre ele. Nesse tempo todo Bilbo manteve este seu anel mágico por todo tempo, sem nenhuma importância, apenas o utilizando apenas para se esconder de seus primos desagradáveis, as Sacolas-Bolseiros. Investigações de Gandalf revelaram este ser o Um Anel forjado pelo Senhor do Escuro Sauron. O anel havia prolongado a vida de Bilbo além do normal para a vida de um hobbit, e em 111, seus "onzenta e um" anos. Aparentemente ele parecia não envelhecer, ou seja ele parecia ter 50 anos de idade. Enquanto o anel inicialmente não o corrompeu, uma vez que teve seus proprietários anteriores, ele estava começando a afetá-lo; ao longo dos anos, tinha começado a dominar sua mente quando fora de sua vista, e ele perdeu o sono e se sentiu “fino, como se estivesse esticado … como manteiga que foi espalhada num pedaço muito grande.” Ele decidiu que desejava se aventurar uma vez mais para então encontrar um lugar tranqüilo para concluir suas memórias. Em 22 de Setembro, ele deu uma última festa de aniversário na qual ele anunciou sua intenção de deixar o Condado para sempre. Bilbo pretendia deixar o Anel com Frodo, mas ele descobriu-se estranhamente relutante em fazê-lo, e então decidiu ficar com ele. Gandalf tentou persuadi-lo a deixar o anel com Frodo. Bilbo se recusou a dar o Anel, referindo-se a ele como seu "precioso" - assim como Gollum havia feito em O Hobbit. Gandalf perdeu a paciência com seu velho amigo, falando em alto tom com ele. Bilbo conseguiu deixar o Anel voluntariamente. Ele sentiu-se melhor imediatamente, admitiu que teria gostado de se livrar do Anel, e ele o deixou para trás, tornando-se a primeira pessoa a fazê-lo voluntariamente. Ele deixou o Condado naquela noite, e nunca mais foi visto na Vila dos Hobbits novamente, apesar de que sem o Anel ele começou a envelhecer rapidamente. Sua aventura mais cedo, seus hábitos excêntricos como um hobbit, e seu repentino desaparecimento levam à figura duradoura de "Louco Bolseiro" no folclore hobbit, que desapareceu com um flash e um estrondo e voltou com ouro e jóias.

Ao se libertar do poder do Anel sobre seus sentidos, Bilbo viajou pela primeira vez para Valfenda, e depois para visitar os anões da Montanha Solitária. Depois que ele voltou para Valfenda, ele passou a maior parte dos próximos 17 anos vivendo uma vida agradável em aposentadoria: comer, dormir, escrever poesia, e trabalhando em suas memórias, Lá-e-de-Volta-Outra-Vez, conhecido por nós como O Hobbit. Ele se tornou um estudioso da tradição élfica, deixando para trás as Traduções do élfico, que constitui a base do que é conhecido por nós como O Silmarillion.

Entre 3003 e 3018, Bilbo trabalhou nas memórias de sua jornada – que tornou-se mais tarde parte do Livro Vermelho do Marco Ocidental – e também compilou três volumes sobre o tempo dos Eldar chamado Traduções do Élfico. Frodo chegou a Valfenda em Outubro de 3018. Quando Bilbo viu o anel, ele pediu ao Frodo para ver o Anel uma última vez, mas quando Frodo mostrou-o para ele, Bilbo compreendeu algo da natureza de seu desejo pelo Anel. No Conselho de Elrond, Bilbo voluntariou-se para levar o Anel até Mordor, mas esse fardo agora devia ser carregado por Frodo.

Bilbo, o tradutor – Irmãos Hildebrandt

Depois que Frodo retornou de sua missão, Bilbo tornou-se sonolento e esquecido, e mesmo assim um desejo pelo Anel ainda permanecia nele.

Pelo fato de que Bilbo também fora um Portador do Anel, foi permitido a ele partir para o Oeste e fazer companhia a Frodo. Bilbo partiu de Valfenda, e com Gandalf, Elrond e Galadriel, ele encontrou-se com Frodo na Ponta do Bosque em 22 de Setembro de 3021. Nesse dia ele completou 131 anos e ultrapassou o Velho Tûk como o Hobbit mais velho que já viveu. Eles cavalgaram até os Portos Cinzentos e em 29 de Setembro eles embarcaram no barco que os levaria embora da Terra-média. Acredita-se que Bilbo viveu o resto de seus dias com Frodo em Tol Eressëa.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória